Hoje trago algo ligeiramente diferente. Não vou tentar falar sobre coisas que queria perceber nem vou deixar aqui uma diarreia cerebral de lamentações, como de costume. Venho falar de coisas simples vindas de pessoas normais, como me tenho convencido ultimamente que sou. Apresento, em baixo, algumas fotos que tirei com o meu novo “brinquedo” ainda que nesta fase ele me dê mais “dores de cabeça” do que prazer. Aos poucos lá vou tentando pescar do assunto.

Oliveira de Azeméis, cidade pacífica que me acolhe ao fim-de-semana. Chega-se a casa e pode-se simplesmente estar, sem propósitos nem intenções. Os familiares e amigos vão-se cruzando, reclamando saudades. Posso, finalmente, dedicar-me a mim; ouvir música na melhor aparelhagem que tenho; comer comida da avó e sentir a minha cama.

Ao domingo sai-se de casa porque é domingo. Não é o café ou a vontade de fazer fumo, é momento para fazer o balanço da semana – para perceber que o Outono e as suas cores flamejantes estão aí; e que as temperaturas vão continuar a descer. Sorte tem a Luna (cadela Husky) que está morfologicamente adaptada.

E, amanhã, veste-se a armadura e empunha-se a espada corajosamente porque vem aí mais uma semana. Siga!

Anúncios