avassaladora é esta avalanche de angústia. situações desconcertantes atropelam-se em uníssono e conduzem-me ao caos. a minha testa é o alvo, estou sob mira. todos os olhos em mim. estou a ser perseguido por atiradores furtivos; lanternas ameaçam denunciar-me. mas só tenho consciência do inimigo. não me é possível combatê-lo; a sua estratégia não tem padrões. tudo o que sei é que continuo a fugir num estado de ansiedade agoniante com aquela sensação de que me vão pegar pelo calcanhar, bruscamente. não me posso virar, o terror interpela-me a continuar a avançar.