costumava-me atormentar um pensamento que se pode simplificar da seguinte forma: o nosso entendimento da realidade será sempre uma ilusão e uma mentira porque amanhã haverá uma tese que subjugará a anterior. ainda não tinha percebido que não existe uma meta suprema do Conhecimento; e que é bem melhor ir dando umas voltas errantes do que permanecer parado.